Consciência Ecológica

/Consciência Ecológica
Consciência Ecológica 2017-09-06T13:34:44+00:00

Há mais de 10 anos inovando e criando soluções no segmento de embalagens flexíveis, fornecemos embalagens plásticas.

Nosso maior diferencial é o compromisso com nossos clientes de retirarmos as sobras industriais e sucatas das embalagens que fornecemos, pagando um preço justo, garantindo a reciclagem em nossa cadeia produtiva e a responsabilidade ambiental.

  • Pronto Atendimento

  • Desenvolvimento Técnico

  • Preço Competitivo

  • Garantia da retirada de suas sucatas e aparas a um preço justo

  • Compromisso com o meio ambiente

Um Pouco Sobre o Plástico

Plástico é todo composto sintético ou natural que tem como ingrediente principal uma substância orgânica de elevado peso molecular. Em seu estado final é sólido, mas em determinada fase da fabricação pode comportar-se como fluido e adquirir outra forma. Em geral, os plásticos são materiais sintéticos obtidos por meio de fenômenos de polimerização ou multiplicação artificial dos átomos de carbono nas grandes correntes moleculares dos compostos orgânicos, derivados do petróleo ou de outras substâncias naturais.

O nome plástico vem do grego plastikos, “maleável”. Os polímeros, moléculas básicas dos plásticos, estão presentes em estado natural em algumas substâncias vegetais e animais como a borracha, a madeira e o couro. Há substâncias, como a celulose, que apesar de terem propriedades plásticas não se enquadram nessa categoria.

Meio Ambiente

A História

Substâncias elásticas extraídas de resinas naturais, como a da seringueira, já eram conhecidas em certas regiões da América, Oceania e Ásia em épocas primitivas.

Das crônicas de viajantes europeus medievais, como Marco Polo, constam relatos sobre a existência dessas substâncias, que foram introduzidas na Europa durante o Renascimento. Até o século XIX o aproveitamento desses materiais foi muito pequeno, mas o desenvolvimento da química permitiu seu aperfeiçoamento e o melhor aproveitamento de suas propriedades.

Em 1862 o inglês Alexander Parkes criou a parquesina, o primeiro plástico propriamente dito. Sete anos mais tarde John Wesley Hyatt descobriu um elemento de capital importância para o desenvolvimento da indústria dos plásticos: a celulóide. Tratava-se de um material fabricado a partir da celulose natural tratada com ácido nítrico e cânfora, substância cujos efeitos de plastificação foram muito usados em épocas posteriores.

A fabricação dos plásticos sintéticos teve início com a produção da baquelita, no início do século XX, e registrou um desenvolvimento acelerado a partir da década de 1920. O progresso da indústria acompanhou a evolução da química orgânica que, principalmente na Alemanha, permitiu o descobrimento de muitas substâncias novas.

Solicite a visita de um de nossos profissionais e conheça melhor a proposta de trabalho da POLYPLAST.

QUERO CONHECER MELHOR…

Plásticos Biodegradáveis

O lixo é um problema com um impacto social e ambiental muito negativo. Há quem considere que um meio de lidar com este problema é utilizar o plástico biodegradável, como uma solução amiga do ambiente para certas coisas, como os sacos de plástico. À primeira vista pode parecer aceitável, mas será realmente melhor para o ambiente?

O lixo é fundamentalmente um problema de comportamentos irresponsáveis, e que deve ser tratado mais pela mudança de atitudes das pessoas do que pela alteração dos produtos que são descartados. A criação de produtos biodegradáveis pode de fato piorar o problema do lixo, porque leva as pessoas a pensar que é correto jogar fora os recursos com valor como o plástico.

Por exemplo, um saco de plástico biodegradável, que que é jogado fora, leva anos a desaparecer e, no entanto, há quem pense que dura apenas alguns dias.

Até mesmo uma casca de banana, quando descartada, necessita de um a três anos e é biodegradável!

Acrescenta-se ainda, que o plástico biodegradável requer condições específicas para poder degradar-se corretamente (micro organismos, temperatura, e umidade) e, se não houver um grande cuidado em manejá-lo, pode tornar-se para o ambiente pior do que o plástico convencional. Quando o plástico biodegradável é lançado numa lixeira, o que em todo o caso deve ser sempre evitado, produz gases com efeito de estufa ao degradar-se.

O que significa plástico biodegradável?

É plástico que pode ser degradado por micro-organismos (bactérias ou fungos) na água, dióxido de carbono (CO2) e algum material biológico.

É importante reconhecer que o plástico biodegradável não é necessariamente produzido por material biológico, ou seja, por plantas. Vários plásticos biodegradáveis são igualmente produzidos a partir do petróleo como os convencionais.

Então para que é que o plástico biodegradável é bom? Por princípio o plástico tem valor pela sua capacidade de criar produtos resistentes e duráveis (por exemplo, na embalagem de produtos alimentares, no transporte e construção civil).

A biodegradabilidade deve ser encarada como uma funcionalidade adicional, quando a sua aplicação exige uma forma barata de destruição do produto, depois de ter cumprido a sua função (por exemplo, para embalagem e proteção de alimentos e para mantê-los frescos).

Exemplos de Produtos Biodegradáveis Úteis:

Plástico Biodegradável

Embalagem de alimentos:
Embalagem que pode ser decomposta conjuntamente com o seu conteúdo, quando o produto termina a data de validade ou se deteriora.

Agricultura:
Lâminas de plástico que podem ser misturadas na terra com o composto e as sementes.

Medicina:
Suturas absorvíveis; pequenos dispositivos contendo medicamentos, que se desfazem no interior do corpo.
A capacidade de ser biodegradável é uma propriedade material que depende muito das circunstâncias do ambiente biológico (o corpo humano é diferente do solo). Considerando isto, poder-se-ia dizer que fazer um produto, como um saco de plástico compostável, não faz muito sentido porque esta capacidade de se biodegradar não resolve a questão do lixo (condições diferentes no composto e no solo).

Para concluir, é errado centrar a atenção em descobrir formas para, em nome da proteção do ambiente, ser mais fácil deitar fora.

O plástico biodegradável é um material útil e interessante, mas só deve ser utilizado quando oferecer vantagens para um determinado produto. A melhor maneira de salvar o planeta é poupar energia e desenvolver meios de reciclar e recuperar todo o plástico.

Receba Atendimento Técnico e Personalizado. Consulte-nos Agora!

ENTRAR EM CONTATO